A Linha Vermelha do Destino – Inspiração para a minha Identidade Visual

Tatiana Cotrim 10 de novembro de 2020

Como criar uma identidade visual?


“Você nunca poderá escapar de seu coração, então é melhor ouvir o que ele tem a dizer…” – Paulo Coelho, O Alquimista.

Vamos ao storytelling da criação de uma identidade visual:

1️⃣ Ao criar uma identidade para o seu negócio é importante em primeiro lugar se conhecer e conhecer o seu público. Qual a sua essência? Qual cor te representa? O que você quer comunicar e conectar?

2️⃣ Depois, pense em um conceito. Esse será o ponto de partida de toda essa criação. Pode ser algo que represente o seu ramo de atuação, algo que represente a indústria ou o mercado no qual está inserido;

3️⃣ Busque uma fonte de inspiração, um lugar, uma lenda, uma estória;


4️⃣ Pronto! Se pensa em registrar a marca no INPI o ideal é contratar um profissional de design para fazer essa criação original e garantir a sua exclusividade durante 10 anos, perante os seus concorrentes no mercado.

Se não tem esse objetivo e muda constantemente de identidade, como eu – não consigo pensar em algo imutável por 10 anos, pois a cada mudança deve ser feito novo depósito no INPI para preservar a proteção (mas esse é assunto para outro post)-, então use e abuse dos apps de design como o Canva Pro e seja feliz!

Escolhi a lenda oriental da linha vermelha do destino, afinal meu destino sempre foi a comunicação e a moda e a cada dia dou mais um passo em direção a ele.

Você conhece a lenda oriental da linha vermelha do destino?

Na China1 essa lenda é conhecida como Akai Ito – o fio vermelho do destino. Reza a lenda que os deuses responsáveis pelos casamentos e uniões Yue Lao ou Xia Lao Yue amarram uma corda vermelha invisível, no momento do nascimento, nos tornozelos dos homens e mulheres que estão destinados a serem alma gêmea.
Para o Japão a lenda do fio vermelho é um pouco diferente e está entre uma das lendas milenares sobre o destino do homem e sua ligação com o universo, um sistema em permanente movimento e transformação.

Compartilho com vocês trechos de um texto pelo qual me apaixonei2:

“A lenda japonesa diz que o menor dedo de sua mão não é onde acaba essa vital conexão com seu coração. Do dedinho se desprende um invisível fio vermelho que leva o rastro de sua alma e lhe conecta de forma definitiva e profunda com os fios de outras pessoas,ou seja, com os seus corações.”

“Nesta concepção da vida, o destino e as relações humanas nascem de uma concepção holística do mundo, onde nossa energia e força vital se ramificam além de nosso corpo e nos une ao universo e aos seres que estão nele. O fio vermelho é uma forma de compreender o ser humano como parte de um todo, de uma rede de vida que se nutre das relações, o dar e o receber, que faz sentido, quando compreendemos por que estamos na vida de alguém ou de que maneira podemos ajudá-lo em seu caminho.”

“Nosso fio marca nosso destino, é um itinerário traçado que nos aproxima de quem mais necessita e de quem mais necessitamos, ainda que na nossa visão não compreendamos o transcurso da existência terrena. Para os japoneses, é uma forma de pensar que nada é produto da sorte e que não somos tão poderosos quando acreditamos que decidimos sobre nossa vida.”


Como não me identificar? A Consultoria de Imagem revelou a minha verdadeira #vocação, de ajudar a transformar vidas, me conectar com pessoas e marcas através da #moda. A linha vermelha do destino me representa e tinha que ser inserida na minha #identidadevisual.

Uma identidade mais clean, minimalista, cada vez mais leve e criativa, conectada com o meu destino, com o meu sonho.

Fontes:

1 https://www.dicionariodesimbolos.com.br/akai-ito-amor-no-fio-vermelho-do-destino/
2 https://incrivel.club/inspiracao-psicologia/a-lenda-japonesa-do-fio-vermelho-32305/

1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Atendimento via Whatsapp

Precisa de ajuda? Responda esta mensagem. Estou online à sua disposição!

AtendenteComo posso ajudar?